Líbia: rebeldes podem conquistar importante cidade nas próximas horas

Região de Bani Walid pode estar abrigando o coronel Muammar Kadafi e seus filhos

Trípoli – Uma delegação formada por cinco líderes tribais da região de Bani Walid deve reunir-se nesta terça-feira com os comandantes militares rebeldes líbios que assediam a cidade para tentar chegar a um acordo definitivo que permita a entrada das tropas sem derramamento de sangue.

Fontes militares rebeldes explicaram à Agência Efe que esperam uma resposta afirmativa dos notáveis, que se comprometeram na segunda-feira a convencer as forças pró-Kadafi entrincheiradas nesta localidade do deserto a deporem suas armas.

As notícias sobre a possível resolução do conflito em Bani Walid, uma das últimas fortificações de resistência, foram divulgadas poucas horas depois de ter sido informado que um comboio com cerca de 200 veículos militarizados líbios teria entrado no Níger, aparentemente procedente da Argélia.

Até o momento não se sabe quem viaja na caravana, dirigida por um líder tribal tuaregue próximo a Muammar Kadafi.

Fontes rebeldes tinham apontado a possibilidade de Kadafi e alguns de seus filhos – em particular o belicoso Seif al-Islam – se encontrarem em Bani Walid, um dos centros de poder da tribo dos Wafala, a maior do país.

A possibilidade de apanhar Kadafi e de transformar a entrada pacífica na cidade em um símbolo para o restante das localidades que ainda resistem vem atrasando o possível assalto da cidade.

No entanto, algumas fontes apontam agora que o comboio que viaja pelo Níger tem como destino final Burkina Fasso, país que estaria disposto a acolher o ex-líder líbio, que poderia unir-se à caravana em alguns dias.

As notícias, no entanto, são confusas, já que em uma gravação de áudio veiculada na noite de ontem por uma televisão por satélite síria, o que antigo porta-voz de Kadafi, Moussa Ibrahim, afirmou que tanto o ditador como seu filho Saif al-Islam “se encontram na Líbia”, bem de saúde e em um lugar inacessível para os rebeldes.

Os temores de que a negociação seja na realidade uma tática das forças pró-Kadafi para ganhar tempo e permitir a fuga de seus líderes já foi aventada no domingo pelo comandante rebelde Anis Mohamad às portas de Bani Walid.

Nesta segunda-feira, um dos habitantes da cidade citado pela imprensa, deu a entender que pelo menos Seif al-Islam havia estado na cidade, mas que teria conseguido fugir rumo ao sul há quatro dias.