Libertados soldados da ONU feitos reféns nos montes Golã

O Conselho de Segurança da ONU publicou uma declaração unânime, "condenando o episódio com rigor" e pedindo cooperação de todas as partes envolvidas

Nova York – Três boinas azuis da ONU, sequestrados na quarta de manhã nas Colinas de Golã por um grupo armado desconhecido, foram postos em liberdade algumas horas depois, disse nesta quinta-feira um funcionário das Nações Unidas.

Os três observadores não armados “foram capturados e retidos por cerca de cinco horas e, depois, libertados ilesos”, por homens armados que “invadiram o posto de observação 52 da ONU, na zona de separação” entre Israel e Síria nas Colinas de Golã, disse à imprensa o chefe de operações de manutenção da paz da organização, Hervé Ladsous.

Na noite desta quinta, o Conselho de Segurança da ONU publicou uma declaração unânime, “condenando o episódio com rigor” e pedindo cooperação de todas as partes envolvidas.

Desde 1974, a Força das Nações Unidas de Observação de Separação (UNDOF, na sigla em inglês) está encarregada de fazer respeitar o cessar-fogo entre Israel e Síria nas colinas de Golã, ocupadas em grande parte pelo estado hebreu.