Laboratório envia droga experimental contra ebola à África

"Qualquer decisão de utilizar o ZMapp deve ser tomada pela equipe médica dos pacientes", assinalou o laboratório, que entregou o medicamento "gratuitamente"

Washington - O laboratório americano que desenvolveu um <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/remedios">medicamento</a></strong> contra o vírus <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/ebola">ebola</a></strong> - ainda em fase experimental - informou nesta segunda-feira o envio de todas as doses disponíveis à África ocidental, que enfrenta uma grave epidemia.</p>

“Após atender os pedidos recebidos neste final de semana de um país da África ocidental, os estoques de ZMapp se esgotaram”, revelou o laboratório Mapp Bio em seu site.

“Qualquer decisão de utilizar o ZMapp deve ser tomada pela equipe médica dos pacientes”, assinalou o laboratório, que entregou o medicamento “gratuitamente”.

A droga experimental, desenvolvida em colaboração com uma empresa canadense, é elaborada a partir de folhas de tabaco e de difícil produção em grande escala atualmente.

Segundo os últimos boletins, a epidemia de febre hemorrágica já deixou 961 mortos em Serra Leoa, Libéria, Guiné e Nigéria desde março passado.

O laboratório americano não informou os países destinatários ou o número de doses enviadas, mas segundo a presidência da Libéria, a Casa Branca e a agência americana de medicamentos e alimentos (FDA) aprovaram o envio “de doses do soro experimental para tratar os médicos liberianos atualmente infectados” pelo vírus ebola.

O comunicado revela que o envio é resultado de um pedido direto da presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf, a seu colega americano, Barack Obama, no dia 8 de agosto.

Monróvia informa ainda que o tratamento experimental será levado à Libéria por um emissário do governo americano durante esta semana.