Kerry sugere analisar lugares sagrados de Jerusalém

"Poderíamos fazer uma reunião caso assim seja decidido, mas creio que não é o momento de estarmos juntos no mesmo país, obviamente" explicou Kerry

O secretário de Estado americano, John Kerry, afirmou nesta terça-feira que dará início às negociações com os líderes israelense e palestino sobre o “essencial” na administração dos lugares sagrados de Jerusalém, visando acalmar os ânimos da cidade.

É esperado que Kerry se reúna com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, o presidente palestino, Mahmud Abbas, e o rei da Jordânia, Abdallah II, nos próximos dias para dialogar sobre o atual aumento da violência.

“Poderíamos fazer uma reunião caso assim seja decidido, mas creio que não é o momento de estarmos juntos no mesmo país, obviamente” explicou Kerry em um fórum de investidores de Washington.

“Mas irei encontrar o primeiro-ministro Netanyahu na Alemanha ou nos entornos. Também farei uma reunião com Abbas e com o rei Abdallah e outros líderes”, completou.

Ainda que o departamento de Estado não tenha finalizado os planos de viagem de Kerry, algumas informações sugerem que ele poderia encontrar Netanyahu em Berlim e com Abas e o rei Abdallah em Amã.

“Vamos analisar o essencial no que diz respeito às expectativas da administração de Haram al Sharif e a explanada das Mesquitas, e esperamos abrir suficiente espaço político para começar a avançar em algumas outras áreas”, afirmou Kerry.

“Creio que devemos criar expectativas cautelosas. Temos que ser muito conscientes das sensibilidades que foram construídas por todas as partes e por isso temos que agir com cuidado.

Até agora, o balanço da última onda de violência na região é de 42 palestinos e um árabe israelense mortos, por um lado, e oito israelenses mortos em ataques, de outro.