Kerry encoraja Irã a ajudar em luta contra Estado Islâmico

"Há um papel para quase todos os países do mundo, incluindo o Irã", disse o secretário de Estado dos EUA em discurso na reunião do Conselho de Segurança da ONU

Nações Unidas – O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, encorajou nesta sexta-feira o Irã a se juntar à luta contra os jihadistas do Estado Islâmico (EI), uma campanha que, segundo sua opinião, requer uma grande coalizão internacional.

“Há um papel para quase todos os países do mundo, incluindo o Irã”, disse Kerry em seu discurso na reunião do Conselho de Segurança da ONU, na qual também estava presente o ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohamad Yavad Zarif.

O chefe da diplomacia americana afirmou que a ação internacional contra o EI não deve ser só militar, mas também de caráter mais amplo.

“Contra esse tipo de mal só temos uma opção: enfrentá-lo com uma campanha global integral comprometida e capaz de degradar e destruir essa ameaça terrorista”, defendeu.

Kerry disse confiar que, ao longo da próxima semana, quando grande parte dos líderes mundiais estarão na Assembleia Geral da ONU, mais países-membros da organização se somem às ações contra o EI.

Enquanto isso, o Irã tem rejeitado até agora se unir aos EUA e a outros países do Ocidente para combater o avanço jihadista no Iraque e na Síria.

O líder supremo iraniano, Ali Khamenei, garantiu nesta semana que o governo americano pediu em várias ocasiões que o Irã se juntasse à coalisão. Ele disse que seu país se negou porque considera que as mãos dos Estados Unidos “estão manchadas” e seu objetivo é manter sua presença militar na região.

Em paralelo, o Irã e as potências do grupo 5+1 discutem um possível acordo sobre o polêmico programa nuclear no país persa.