Kerry diz que ação de Bush no Iraque desvia EUA de verdadeiros riscos

No primeiro debate dos candidatos à presidência dos Estados Unidos, Bush aponta ambigüidade de Kerry em suas posições sobre a guerra no Iraque como indício de sua incapacidade para liderar

A eleição do novo presidente dos Estados Unidos dedica-se, quase que exclusivamente, a um embate sobre guerra e terrorismo. Pelo menos, foi assim no primeiro dos três debates presidenciais nos EUA, que ocorreu ontem (30/9), em Miami. O candidato democrata, senador John Kerry, afirmou que a invasão do Iraque não foi inteligente e desviou a atenção da guerra contra o terror, enquanto o presidente George W. Bush repetiu o bordão “o mundo está melhor sem Saddam Hussein” (leia reportagem da revista EXAME sobre o papel do independente Ralph Nader nessa disputa).

O debate durou 90 minutos, distribuídos por 18 temas e considerações finais (leia a íntegra do debate no site da CNN). A manchete do jornal americano The New York Times desta sexta-feira sintetiza bem as posições dos candidatos: “Bush vê uma América mais segura, enquanto Kerry vê um ‘erro colossal'”. O erro consiste, na opinião do democrata, em colocar o Iraque na raiz do problema do terrorismo, e com isso enfraquecer o front do desmantelamento da Al Qaeda de Osama bin Laden e permitir a continuidade dos programas nucleares na Coréia do Norte e no Irã.

Para que os Estados Unidos alcancem de fato maior segurança, disse Kerry, devem liderar o mundo e reunir fortes alianças. “Ao mesmo tempo, devemos ser inteligentes, sem desviar nossa atenção da guerra contra o terrorismo. Saddam Hussein não nos atacou. Osama bin Laden nos atacou. A Al-Qaeda nos atacou. Invadir o Iraque foi como se Franklin Roosevelt [presidentes dos EUA durante a 2ª Guerra Mundial] invadisse o México depois de Pearl Harbor.”

A estratégia de Bush foi desqualificar Kerry como um dirigente capaz de conduzir o país em momentos de perigo. “Você não pode liderar se emite mensagens ambíguas. Meu oponente votou autorizando o uso da força e agora diz que a guerra é equivocada no momento equivocado.” Uma das principais linhas da campanha republicana tem sido mostrar Kerry como um político que muda repetidas vezes de posição por conveniência eleitoral.

O senador democrata chegou a admitir idas e vindas em sua posição sobre a guerra, mas tentou aproveitar o tema para demonstrar humildade e fustigar o republicano. “Cometi um erro ao falar sobre a guerra. O presidente errou invadindo o Iraque. O que é pior?” Kerry acusou Bush de entrar em território iraquiano sem uma estratégia de paz, portanto sem previsão de saída das tropas.

Os candidatos também foram questionados sobre a efetividade de sanções diplomáticas, sobre o envio de tropas americanas para o Sudão e se Bush avalia corretamente a política adotada por Vladimir Putin, presidente da Rússia. Os próximos debates estão marcados para 8/10 e 13/10.