Kadafi recorre a ajuda a dirigentes africanos, diz jornal

Regime entrou em contato com outros líderes do continente, assediando-os ou ameaçando-os por ajuda

Londres – O líder líbio Muammar Kadafi e funcionários de seu entorno pediram ajuda a outros dirigentes africanos, mas sem demais êxito, informa o diário britânico “Financial Times”.

Funcionários africanos disseram ao periódico que Kadafi e políticos próximos ao líder tinham telefonado a seus aliados, assediando-os ou ameaçando-os para que o ajudassem.

O regime líbio supostamente tentou também recrutar mercenários africanos, de países como Níger, Mali, Somália, Eritréia, Sudão e Chade, aos quais o próprio Kadafi apoiou no passado.

Mas, segundo o jornal, há tantos dirigentes africanos que parecem desejar sua derrota como os que a temem porque, se Kadafi cair, deixarão de receber os petrodólares líbios.

Kadafi canalizou bilhões de dólares de investimentos em 31 Estados africanos e articulou apoio a inúmeros políticos e dirigentes do continente africano, indica o “Financial Times”.