Kadafi morreu por um tiro na cabeça, diz legista

A informação contradiz a versão oficial das novas autoridades líbias

Argel – O legista que examinou o cadáver de Muammar Kadafi assegurou nesta sexta-feira à rede de televisão Al Arabiya que a causa da morte do ex-líder líbio foi o disparo de uma bala em sua cabeça.

‘Kadafi estava ligeiramente ferido, mas vivo. Depois recebeu uma bala na têmpora que saiu pela testa e outra no estômago que causou grandes danos’, explicou o médico Ibrahim Tika.

Integrantes do Conselho Nacional de Transição (CNT) líbio afirmaram nesta quinta-feira que Kadafi foi detido vivo e que morreu quando era transportado para a cidade de Misrata.

Mahmoud Jibril, primeiro-ministro do governo de transição, assegurou ontem em entrevista coletiva em Benghazi que Kadafi recebeu um disparo na cabeça durante um tiroteio entre seus seguidores e as forças revolucionárias.

O legista, que espera autorização do CNT para realizar a autópsia do corpo do ex-didator, referiu-se também a Mutassim, filho de Kadafi, que morreu pouco depois de seu pai.

Segundo o médico, seu corpo apresentava marcas de bala a alguns centímetros do pescoço, nas costas e nos braços. Tika afirmou que o ferimento no pescoço parece ser de um projétil de arma pesada.

Imagens divulgadas hoje pela Al Arabiya mostram Mutassim ferido mas ainda vivo. Deitado numa manta, no que parece ser um quarto, o filho de Kadafi movimenta a cabeça e não se vê nenhum ferimento em seu pescoço.