Justiça nega pedido para evitar suspensão do Parlamento britânico

Tribunal disse que audiência completa sobre o caso será realizada em 6 de setembro, criando perspectiva de que ato do governo ainda pode ser bloqueado

O primeiro desafio legal à suspensão do Parlamento do Reino Unido pelo governo do primeiro-ministro Boris Johnson foi postergado por uma corte escocesa.

O Tribunal de Sessões em Edimburgo se recusou nesta sexta-feira, 30, a adotar ação legal imediata para evitar que Johnson suspenda o Parlamento por várias semanas durante parte do período antes da data-limite do Brexit de 31 de outubro.

O juiz Raymond Doherty, no entanto, disse que uma audiência completa sobre o caso será realizada em 6 de setembro, fazendo surgir a perspectiva de que o ato do governo ainda poderia ser bloqueado. Ele disse que não há necessidade para uma intervenção imediata porque haverá uma audiência “substantiva” sobre o caso na semana que vem.

Veja também

A decisão na mais alta corte civil da Escócia é um revés para o grupo pluripartidário de legisladores buscando ampliar o período para debate parlamentar em uma tentativa de evitar um desembarque desordenado pela Grã-Bretanha da União Europeia (UE).

Dois outros casos legais estão sendo conduzidos, um na Irlanda do Norte e outro em Londres. O ex-primeiro-ministro John Major disse hoje que está buscando se juntar ao caso na capital para arguir contra a suspensão.