Justiça francesa proíbe que bebê ganhe o nome de “Jihad”

"Jihad", em árabe, significa combate sagrado, guerra santa, trabalho e esforço

A Justiça francesa anulou nesta sexta-feira (27) o nome “Jihad”, dado há um ano a um bebê na França, considerando que há conotação pejorativa.

“O tribunal não aceitou esse nome, porque considera que poderia ser prejudicial para a criança”, disse o promotor de Dijon à AFP, insistindo em que a decisão foi tomada para o “melhor interesse do menino”.

“O nome ‘Jihad’, que tem uma conotação pejorativa ao se relacionar com movimentos islâmicos (jihadistas), foi substituído pelo nome ‘Jahid’, que em árabe tem o mesmo significado de ‘esforço’ e ‘bravura’, sem estar relacionado à ideia de guerra”, acrescentou a mesma fonte.

O caso surgiu em novembro de 2018, quando o prefeito de Dijon apresentou um recurso para anular a decisão de chamar uma criança de “Jihad”. Em árabe, esta palavra significa combate sagrado, guerra santa, trabalho e esforço.

A mãe do bebê declarou ao jornal regional “Le Bien Public” que, se o tribunal negasse o nome “Jihad”, mudaria duas letras para chamá-lo de Jahid.