Juiz que espancou a própria filha não será indiciado; veja vídeo da agressão

Garota foi acusada pelo pai de baixar músicas e jogos da internet. Ela tinha 16 anos e filmou tudo. Sete anos depois, resolveu denunciar a agressão

São Paulo – São quase oito minutos de golpes, gritos e violência doméstica. O juiz americano William Adams, que foi filmado espancando a própria filha, Hillary Adams, quando ela tinha apenas 16 anos, sairá impune da acusação porque o crime, ocorrido há sete anos, já prescreveu, informa a polícia de Rockport, no estado americano do Texas.

Hillary Adams, hoje com 23 anos, postou o vídeo na internet na semana passada. As imagens mostram seu pai batendo nela com um cinto diversas vezes. O juiz aparece gritando: “deita ou eu vou bater na sua cara”, enquanto a adolescente chora e implora para que ele pare com a agressão.



Fonte: YouTube | Obs: O conteúdo deste vídeo possui cenas fortes

O conteúdo foi gravado em 2004, mas somente agora Hillary resolveu torná-lo público, já que está morando sozinha. Em entrevista concedida à CNN, ela afirmou que queria mostrar ao pai que ele precisa de ajuda, mas que não acha que ele deveria ser punido judicialmente.

Apaixonada por tecnologia, a garota captou as imagens da agressão com uma câmera oculta instalada por ela em seu quarto. O juiz, cujo histórico de condenações incluem pais que agridem os próprios filhos, não aceitou o fato de que a garota baixou músicas e jogos da internet, desrespeitando as leis de direitos autorais.

A mãe de Hillary, Hallie Adams, que se separou do juiz em 2007, também aparece no vídeo batendo na filha. Ela revelou à CNN que a violência era algo comum em sua casa, e informou ainda que já pediu perdão para a jovem.

Investigação

A polícia da pequena cidade de Rockport recebeu centenas de telefonemas de várias partes do mundo condenando o espancamento. A pedido da promotoria, a polícia começou uma investigação para determinar se houve crime, mas logo suspendeu o caso.

No fórum onde o juiz trabalha, ele foi afastado de casos que envolvam crianças. .Eu não fiz nada de errado. Estava tentando disciplinar minha filha depois que a peguei roubando, explicou o juiz. Eu me excedi, mas já pedi desculpas.

Hillary diz que decidiu tornar público o vídeo porque o pai continuou com os assédios violentos. Eu disse a ele que, se não parasse, iria publicar o vídeo na internet. E ele disse que não se importava, conta a jovem. As imagens publicadas por ela e distribuídas por outros usuários no YouTube já contam no total com mais de 950 mil visitas.