Juiz chileno ordena exumação do poeta Pablo Neruda

Apesar das dúvidas que cercam o assunto, os relatórios do Serviço Médico Legal do Chile afirmam que o poeta morreu em função de um câncer

Santiago – O juiz chileno Mario Carroza ordenou a exumação dos restos mortais do poeta Pablo Neruda, atendendo a uma demanda do Partido Comunista, que deseja esclarecer as causas da morte do escritor, que segundo declarações de seu ex-motorista pode ter sido assassinado.

Apesar das dúvidas que cercam o assunto, os relatórios do Serviço Médico Legal do Chile afirmam que o poeta, que ganhou o prêmio Nobel de Literatura em 1971, morreu em função de um câncer doze dias depois do golpe de Augusto Pinochet, perpetrado em 11 de setembro de 1973.

No entanto, declarações do antigo motorista de Neruda, Manuel Araya, que em 2011 afirmou que o poeta foi assassinado por agentes do regime mediante a aplicação de uma injeção letal enquanto estava internado em uma clínica de Santiago, incentivaram a ação do Partido Comunista chileno.

A ordem do juiz foi divulgada nesta sexta-feira pelo portal “El Mostrador”. Fontes ligadas ao processo confirmaram a determinação e disseram que a exumação irá ocorrer em março.

A Fundação Pablo Neruda disse hoje que foi informada há duas semanas sobre a resolução do juiz. “Estamos tranquilos, porque sabemos que a exumação será feita com cuidado e respeito”, afirmou a instituição.

Pablo Neruda foi sepultado ao lado de sua esposa, Matilde Urrutia, em sua casa-museu na cidade litorânea de Isla Negra, a 120 quilômetros de Santiago.