Jovens morrem em ritos de circuncisão na África do Sul

Esses rituais marcam a passagem para a vida adulta

Johannesburgo – Vinte e três jovens sul-africanos morreram nesta semana em rituais tradicionais de circuncisão, que marcam a passagem para a idade adulta, informou a polícia nesta sexta-feira.

Os meninos, de 13 a 21 anos, morreram em “escolas de iniciação” em Mpumalanga, uma província do noroeste do país.

“Abrimos 22 investigações por homicídio” e o caso número 23 ainda não é claro, já que o menino tinha problemas de saúde, indicou à AFP o porta-voz da polícia provincial, Leonard Hlathi.

Até o momento, a polícia não realizou nenhuma prisão, à espera dos resultados das necropsias, acrescentou.

Os ritos de iniciação deixaram centenas de mortos na África do Sul nos últimos anos, apesar dos esforços das autoridades para estabelecer regras de higiene entre os curandeiros tradicionais.

Além da circuncisão, os ritos de iniciação também incluem várias semanas em meio à natureza, durante as quais os jovens aprendem os valores de virilidade e disciplina.

O governo sul-africano apresentou suas condolências às famílias das vítimas e pediu que as condições de higiene e segurança melhorem.