Jordânia condena a 4 anos de prisão alemão que se uniu ao EI

De acordo com a decisão do tribunal, o condenado viajou à Turquia e se uniu ao EI, que controla amplos territórios no norte e no nordeste da Síria

Amã – O Tribunal de Segurança do Estado da Jordânia condenou nesta segunda-feira a quatro anos de prisão um cidadão alemão de origem jordaniana por ter se unido ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI), informou à Agência Efe uma fonte judicial.

De acordo com a decisão do tribunal, o condenado viajou à Turquia e se uniu ao EI, que controla amplos territórios no norte e no nordeste da Síria, perto da fronteira turca.

Posteriormente, viajou para Jordânia e ficou hospedado na casa do pai durante 20 dias, antes de ser detido, detalhou a fonte judicial.

As autoridades não divulgaram o nome do condenado, que, além da pena a quatro anos de prisão, também foi sentenciado a trabalhos forçosos.

O mesmo tribunal condenou hoje outro suspeito jihadista a dois anos de prisão por “promover a ideologia do EI pela internet”, acrescentou a fonte consultada pela Efe.

O Tribunal de Segurança do Estado é uma corte militar que se encarrega na Jordânia dos casos relacionados a terrorismo e organizações islamitas, entre outros.

A Jordânia conseguiu se manter relativamente segura apesar da presença do EI do outro lado de suas fronteiras, tanto na Síria como no Iraque, embora o conflito nesses países tenha afetado o território jordaniano.