Jordânia assume Conselho de Segurança da ONU

País assumirá na quarta primeiro dia do mandato de dois anos no grupo de 15 nações que tenta lidar com conflitos na Síria

Nações Unidas – A Jordânia assumirá a Presidência do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas na quarta-feira, o primeiro dia do mandato de dois anos no grupo de 15 nações que tenta lidar com conflitos na Síria, no Sudão do Sul, na República Centro-Africana, no Mali e em outros lugares.

A Jordânia vai se juntar a Chade, Chile, Lituânia e Nigéria no conselho até 31 de dezembro de 2015. A Assembleia-Geral da ONU elegeu Amã no começo de dezembro para substituir a Arábia Saudita, que rejeitou o posto em protesto ao fracasso do órgão em acabar com a guerra na Síria e agir no conflito entre israelenses e palestinos, além de outros problemas do Oriente Médio.

Apesar de a Jordânia ter sido escolhida de última hora para o lugar do reino saudita, o embaixador de Amã na ONU, príncipe Zeid Ra’ad Zeid al-Hussein, é conhecido na organização internacional por não conter palavras quando o assunto é direitos humanos.

Em abril, Zeid ajudou a organizar um boicote à uma reunião da Assembleia-Geral sobre justiça internacional organizado por Vuk Jeremic, um político sérvio que dirigiu a Assembleia-Geral da ONU. Os Estados Unidos consideraram a atitude “inflamatória”.

Vários membros do Conselho de Segurança da ONU disseram que Zeid pode se tornar um membro influente do grupo mais poderoso da organização, apesar de a Jordânia, como outros membros temporários, não ter poder de veto, benefício das cinco nações permanentes do conselho, como Reino Unido, China, França, Rússia e Estados Unidos.