Jihadistas deixam bases por ameaça de ataques americanos

Grupo Estado Islâmico começou a esvaziar muitas das suas bases e posições na província de Deir Ezzor, na Síria

Beirute – Jihadistas em um reduto sírio próximo ao Iraque abandonaram algumas bases e redistribuíram suas forças e equipamentos para outras posições, no momento em que forças americanas estavam prontas para atacar, informaram ativistas nesta quarta-feira.

O grupo Estado Islâmico (EI) “começou a esvaziar muitas das suas bases e posições na província de Deir Ezzor”, declarou Abu Osama, um ativista da região oriental do país, majoritariamente sob controle jihadista.

Falando à AFP pela internet, Abu Osama declarou que todas as posições conhecidas do EI em Eshara, uma cidade cerca de 60 km a leste de Deir Ezzor, haviam sido esvaziadas.

Abu Osama também explicou que os jihadistas desocuparam o antigo prédio do governo na cidade de Deir Ezzor, que havia sido transformado pelo EI em seu principal depósito de munições na região.

Já na cidade de Mayadeen, perto da fronteira com o Iraque, o “Daesh (EI) fechou oito bases, deixando apenas três abertas – o (ex-) posto dos correios, o prédio da inteligência militar e o tribunal religioso”, disse.

“Mesmo os campos de petróleo estão sendo evacuados. As famílias dos jihadistas estrangeiros que viviam nos edifícios residenciais nos campos foram retiradas”, acrescentou.

O EI travou uma grande batalha contra os jihadistas rivais e rebeldes sírios no início deste ano, tomando o controle da grande maioria da província rica em petróleo de Deir Ezzor e expulsando todos os seus rivais.

O regime de Damasco ainda controla partes da cidade Deir Ezzor, bem como o aeroporto militar da província.

Os jihadistas saíram em meio à ameaça de ataques aéreos americanos contra suas posições.