Japão tira de circulação carne de baleia com pesticida

Proibidas ou rigidamente regulamentadas nos países industrializados, substâncias químicas são consideradas extremamente perigosas para a saúde

Tóquio – O Japão precisou tirar de circulação carne de baleia importada da Noruega depois de encontrar uma taxa de pesticida duas vezes superior ao nível autorizado, anunciou nesta quarta-feira o ministério japonês da Saúde.

“Realizamos verificações muito rígidas porque as baleias têm tendência a acumular poluentes do meio ambiente, como os pesticidas e os metais pesados”, explicou um funcionário do ministério à AFP.

As análises realizadas na carne procedente do país escandinavo revelaram em duas ocasiões no ano passado a presença de 0,2 ppm (partes por milhão) de aldrina e de dieldrina combinadas, assim como 0,07 ppm de clordano, enquanto o Japão autoriza níveis máximos de 0,1 ppm e 0,05 ppm, respectivamente.

Proibidas ou rigidamente regulamentadas nos países industrializados, estas substâncias químicas, que permanecem durante muito tempo no meio ambiente e se acumulam nos tecidos adiposos, são consideradas extremamente perigosas para a saúde.

Em ambos os casos, foi dada a ordem de se desfazer da carne em questão.

No entanto, o Japão não tomou nenhuma decisão para suspender ou reduzir as importações norueguesas, em alta nos últimos anos, indicou o funcionário.

“Há poucos países que consomem carne de baleia, então o comércio se limita a estes poucos países”, lembrou.

Procurada pela AFP, a Autoridade Norueguesa de Segurança Alimentar declarou que suas análises mostravam apenas taxas reduzidas de pesticidas.

“De nosso ponto de vista, consumir carne de baleia não apresenta nenhum risco”, afirmou Grethe Bynes, encarregada das exportações e das importações nesta instituição.

O problema foi revelado por militantes da Agência de Investigação do Meio Ambiente (EIA) e da ONG Animal Welfare Institute (AWI). Ambos aproveitaram para exigir novamente o fim desta prática que coloca em risco a saúde dos consumidores e que não tem razão de ser, segundo eles.

A Noruega é, junto com a Islândia, o único país do mundo que autoriza a caça de baleias, que acaba com a vida de centenas de cetáceos todos os anos.

O Japão também pratica a caça, embora com fins científicos oficialmente, mas grande parte da carne acaba nas prateleiras dos mercados.