Japão cogita retomar conversas com Coreia do Norte

Entre os conflitos de Tóquio e Pyongyang, que não mantêm relações diplomáticas, se destaca o dos cidadãos japoneses sequestrados pelo regime comunista

Tóquio – O governo do Japão cogita neste momento a possibilidade de retomar as conversas de alto nível com a Coreia do Norte para resolver as diferenças vigentes entre ambos os países, admitiu nesta quarta-feira o porta-voz do Executivo, Yoshihide Suga.

Entre os conflitos de Tóquio e Pyongyang, que não mantêm relações diplomáticas, se destaca o dos cidadãos japoneses sequestrados pelo regime comunista. “Estamos analisando todas as possibilidades para solucionar o assunto dos sequestros e essa opção de retomar as negociações está incluída”, declarou Suga em entrevista coletiva.

As conversas em torno do sequestro de cidadãos japoneses foram retomadas no último ano pela primeira vez em quatro anos, embora tenham sido em suspensas depois que a Coreia do Norte anunciou sua intenção de lançar um foguete para pôr um satélite em órbita, algo que foi considerado como um teste de lançamento de mísseis.

O comentário de Suga vem à tona depois que o conselheiro do primeiro-ministro Abe, Isao Iijima, viajasse para Pyongyang na última semana para tratar com o número 2 do regime comunista, Kim Yong-nam, os sequestros de cidadãos japoneses por parte da Coreia do Norte durante as décadas de 70 e 80.

Neste sentido, Tóquio sustenta que, entre 1977 e 1983, pelo menos 17 japoneses foram sequestrados pela Coreia do Norte para dar lições de cultura e idioma em seus programas de adestramento de espiões, enquanto Pyongyang tem o caso por encerrado.

“Encontraremos uma solução para o tema dos sequestros com todo o esforço possível. Essa é a política da Administração Abe”, insistiu Suga. O regime norte-coreano, que confirmou o sequestro de 13 cidadãos, só permitiu o retorno de cinco deles ao Japão até o momento.