Itália pede que Malta se responsabilize por embarcação com 450 imigrantes

Embarcação pode ter zarpado da cidade líbia de Zuara, perto da Tunísia, e, embora estivesse na zona de Busca e Resgate de Malta, corrigiu sua rota

Roma – O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, pediu nesta sexta-feira a Malta que se responsabilize por uma embarcação na qual viajam 450 imigrantes no Mediterrâneo.

“Que saibam Malta, os traficantes de seres humanos e os ‘buenazos’ (termo com o qual normalmente se refere aos partidários da concessão de asilo a imigrantes) que esse barco não pode e não deve chegar a um porto italiano”, ressaltou Salvini.

Por sua vez, o ministro de Infraestruturas, Danilo Toninelli, que coordena os resgates da Guarda Costeira e a rede portuária da Itália, afirmou que, “segundo a lei do mar, Malta deve enviar seus próprios navios e abrir seus portos” para essa embarcação.

“Nossa Guarda Costeira poderá intervir, se for preciso, para ajudar, mas Malta deve fazer imediatamente o seu dever”, ressaltou Toninelli.

A embarcação, de cerca 20 metros de comprimento, pode ter zarpado da cidade líbia de Zuara, perto da Tunísia, e, embora estivesse na zona de Busca e Resgate (SAR) de Malta, corrigiu sua rota e se encontra próxima à ilha italiana de Lampedusa, segundo fontes do Ministério do Interior da Itália.

Desde que a Liga Norte de Salvini governa na Itália com o Movimento 5 Estrelas, este impulsionou como ministro do Interior uma política ferrenha contra a imigração irregular e, assim, já não é permitido o desembarque de imigrantes resgatados no mar pelas organizações não governamentais.