Israel liberta preso árabe que passou 27 anos na prisão

Ele permanecia preso desde agosto de 1985 por sua participação em "atos de resistência e atividades anti-ocupação"

Jerusalém – Israel concedeu nesta quarta-feira liberdade ao sírio Sudqi Suleiman Al Maqt que passou 27 anos encarcerado, o período mais longo cumprido por um detento árabe em uma prisão israelense, segundo informou o Ministério de Prisioneiros Palestino.

O ex-preso, de 45 anos, é residente do território sírio das Colinas de Golã, ocupado por Israel desde 1967 e que permanecia preso desde agosto de 1985 por sua participação em “atos de resistência e atividades anti-ocupação”, informou a agência de notícias palestina “Wafa” sem detalhar mais.

Após sair da prisão, o sírio foi para sua casa na cidade de Majdel Shams, em Golã, onde sua família e vizinhos o esperavam para comemorar sua liberdade.

Segundo a agência de notícias síria “Sana”, que cita o representante de presos do partido Fatah em Gaza, Nashat Al Wahidi, Maqt foi condenado por detonar um explosivo em uma base militar israelense em Golã e por organizar a resistência armada na região.