Israel envia para Gaza quase todo efetivo regular de combate

O exército israelense informou que mobilizará esta noite outros 18.000 reservistas para cumprir com suas necessidades de segurança por todo o país

Jerusalém – O exército israelense lançou nesta sexta-feira (data local) em Gaza uma de suas maiores ofensivas terrestres dos últimos anos com “quase a totalidade das forças regulares”, disse o comentarista militar do “Canal 10” Alon Ben David.

O veterano jornalista assinalou que o número de soldados enviados para esta ofensiva terrestre não foi divulgado, mas que é “semelhante ao número de soldados para o final da operação Chumbo Fundido” no final de 2008 e princípio de 2009, em que morreram cerca de 1.500 palestinos.

“Quase todo o exército regular está em Gaza. É uma força impressionante”, apontou, se referindo unicamente as forças de combate.

O exército israelense informou que mobilizará esta noite outros 18.000 reservistas para cumprir com suas necessidades de segurança por todo o país enquanto tem as forças regulares estiverem alocadas na Faixa de Gaza.

O alistamento imediato destas forças de reserva se soma à cota de 48 mil soldados autorizados pelo governo de Benjamin Netanyahu nos últimos dias.

No total Israel autorizou a incorporação de 66.000 reservistas, a quantidade mais alta desde a guerra com o Hezbollah, no Líbano, em 2006.

O tenente-coronel Peter Lerner, porta-voz do exército para a imprensa estrangeira, antecipou esta noite em uma conversa com jornalistas que a operação “não está limitada no tempo”, o que faz necessário chamar um maior número de reservistas para se ocuparem das missões de rotina do exército.

Em casos de guerra, o exército destina para o front as forças regulares, e deixa outras posições e funções menos urgentes nas mãos da reserva.