Irmão de Pistorius é suspeito de destruir provas de crime

O irmão de Oscar Pistorius é suspeito de apagar dados telefônicos que poderiam ter sido úteis para a investigação sobre a morte de Reeva Steenkamp

Johanesburgo – O irmão de Oscar Pistorius é suspeito de ter apagado dados telefônicos que poderiam ter sido úteis para a investigação sobre a morte de Reeva Steenkamp pelo campeão paralímpico sul-africano, informou a rádio sul-africana EWN.

Pistorius, de 27 anos, voltará a comparecer a um tribunal em 13 de outubro para o debate e pronunciamento da eventual pena que deverá cumprir, depois de ter sido considerado culpado de homicídio culposo e absolvido da acusação de assassinato premeditado.

De acordo com a EWN, os investigadores concluíram que Carl Pistorius sincronizou seu computador ao iPhone de Oscar, o que explicaria como o histórico de ligações e mensagens desapareceu do telefone.

A emissora destaca que a polícia pediu ajuda aos técnicos da empresa Apple nos Estados Unidos e que o irmão de Pistorius, de 29 anos, esteve muito perto de ser indiciado.

A família do atleta afirmou em um comunicado não ter conhecimento de uma destruição de provas por Oscar Pistorius ou a seu pedido.

Pistorius matou a namorada Reeva Steenkamp, de 29 anos, com quatro tiros em fevereiro de 2013 em sua casa em Pretória, no momento em que ela estava trancada no banheiro.

O campeão paralímpico alegou que acreditava atirar contra um ladrão.

Pistorius foi condenado por homicídio culposo, o que pode resultar em uma pena de prisão, mas que não é automática.