Iranianos são presos por ofensas a aiatolá em aplicativos

Onze homens foram detidos após produzir e compartilhar material com ofensas ao fundador da República Islâmica em aplicativos como WhatsApp e Viber

Teerã.- As autoridades do Irã detiveram 11 pessoas por insultos ao falecido fundador da República Islâmica, o aiatolá Khomeini, através de aplicativos de celular.

Os detidos foram ‘enganados’ para produzir e compartilhar material com ofensas ao fundador da República Islâmica em aplicativos como WhatsApp, Viber, Line, Telegram e Tango, informou neste domingo a agência de notícias iraniana Isna.

A Justiça iraniana deu hoje um ultimato ao governo para que filtre e controle os conteúdos dos aplicativos de celulares no prazo de um mês com a ameaça de proibi-los totalmente.

O Irã bloqueia o acesso a redes sociais na internet como Facebook e Twitter, além da milhões de páginas da rede, que só podem ser acessadas no país através de ferramentas antibloqueio, como os proxies e as VPNs.