Irã e potências vão se reunir para negociação nuclear

Irã e os países do Grupo 5+1 se reunirão em Nova York para a sétima rodada de negociações nucleares

Teerã – O Irã e os países do Grupo 5+1 (China, Rússia, Estados Unidos, Alemanha, França e Reino Unido) se reunirão na sexta-feira em Nova York para a sétima rodada de negociações nucleares, confirmou nesta quarta-feira o chefe negociador nuclear iraniano e ministro das Relações Exteriores, Mohamad Yavad Zarif.

“O encontro com o G5+1 será na sexta-feira”, declarou à agência estatal iraniana “Irna” o ministro, que já chegou a Nova York, onde participará hoje de um almoço de trabalho com a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton.

“Antes da reunião de alto nível (ministerial) manteremos encontros bilaterais e multilaterais com representantes do G5+1”, acrescentou o ministro.

Zarif também confirmou que o presidente iraniano, Hassan Rohani, viajará para Nova York para participar da 69ª sessão da Assembleia Geral da ONU.

Nesta semana o vice-chefe negociador iraniano e vice-ministro das Relações Exteriores, Abbas Araqchi, assegurou que é “pouco provável” que se chegue a fechar um pacto nuclear esta semana em Nova York.

“Ainda restam muitos assuntos que têm que ser discutidos”, disse Araqchi, reiterando que seu país não vai abandonar seu direito ao uso pacífico de energia atômica, mas fará o necessário para eliminar as dúvidas que este gera na comunidade internacional.

“Os direitos do Irã e a proteção das conquistas de nossos cientistas nucleares são nossas linhas vermelhas, sobre as quais não faremos concessões”, declarou Araqchi, segundo a agência “Mehr”.

Na semana passada, o vice-ministro de Relações Exteriores iraniano para Assuntos da Europa e EUA, Majid Tajte Ravanchi, ressaltou que o Irã e as potências do 5+1 têm ainda “sérias diferenças” em torno da questão nuclear.

Em novembro do ano passado o Irã chegou a um pré-acordo com o 5+1 para impulsionar o diálogo que deveria finalizar em novembro deste ano com um acordo que ponha fim a mais de uma década de enfrentamentos e sanções internacionais devido ao polêmico programa nuclear iraniano.

Alguns países, liderados pelos EUA, temem que o Irã desenvolva um programa atômico militar, enquanto Teerã assegura que é exclusivamente civil e exige seu direito a desenvolver a energia nuclear pacífica.