Irã afirma que déspotas como Kadafi estão destinados à morte

Ramin Mehmanparast, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do país, diz que líderes opressores estão destinados à destruição

Teerã – O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast, disse nesta sexta-feira que ‘os déspotas e opressores ao longo da história não tiveram outro destino que a destruição e a morte’, em referência à morte de Muammar Kadafi.

Em declarações divulgadas pela agência oficial iraniana Irna, o ministro acrescentou que o Governo de Teerã espera ‘o fim da guerra civil no país, a instauração da estabilidade e segurança, e que um Governo democrático chegue ao poder na Líbia’.

Além disso, Mehmanparast defendeu que ‘já não há pretexto para a intervenção estrangeira’. ‘É necessário que, com a imediata saída das tropas estrangeiras da Líbia, o povo líbio encontre a oportunidade de decidir sobre seu próprio destino em um ambiente de liberdade, sem intervenção estrangeira’, disse.

Para Mehmanparast, o fim da ditadura de Kadafi na Líbia deixa livre o caminho para a formação de um governo nacional, e que a República Islâmica do Irã está disposta a transferir suas experiências para participar da reconstrução do país.