Investimentos estrangeiros na Coréia crescem 97% em 2004

No ano passado, o setor de manufaturados foi o que mais captou recursos do exterior. Os EUA foram o país que mais investiu em projetos coreanos

A Coréia do Sul recebeu 12,77 bilhões de dólares em investimentos estrangeiros diretos (IED) no ano passado. A cifra representa um salto de 97% sobre 2003 e marca o melhor resultado desde os 15,52 bilhões captados pelo país em 1999. Desde então, o volume de recursos estrangeiros aplicados no país vinha declinando. O incremento verificado em 2004 interrompeu a seqüência de quedas.

Segundo o americano The Wall Street Journal, somente no quarto trimestre, o IED mais do que dobrou em relação a igual período do ano passado, subindo de 1,84 bilhão de dólares para 4,36 bilhões. O resultado é o melhor para um quarto trimestre, desde os 5,12 bilhões obtidos em 2001. O Brasil registrou desempenho semelhante no terceiro trimestre do ano passado (últimos dados disponíveis). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IED entre julho e setembro somou 25 bilhões de reais, contra 8,7 bilhões do mesmo período de 2003 uma evolução de 187,35%.

No caso coreano, o setor de manufaturados foi o que liderou a atração de capitais estrangeiros. No acumulado de 2004, essas empresas receberam 6,21 bilhões de dólares, mais que o triplo dos 1,7 bilhão obtidos em 2003. O desempenho do setor de serviços também foi bastante positivo: 6,13 bilhões de dólares, um incremento de 48%.

Os Estados Unidos continuaram como os maiores investidores no país. No ano passado, os americanos aplicaram 4,73 bilhões de dólares na Coréia, o que representou uma alta de 37%. Os japoneses também tiveram um lugar de destaque, ao ampliar em 18% os investimentos, que somaram 2,25 bilhões. Em seguida, vieram os chineses, com 1,17 bilhão de dólares um acréscimo de 9,1%.

Em relação ao tipo de investimento, os desembolsos para a construção de novas fábricas aumentaram 83%, para 6,26 bilhões de dólares. Já os recursos para fusões e aquisições cresceram 85% e atingiram 5,48 bilhões.

O governo coreano espera que o IED alcance cerca de 11 bilhões de dólares em 2005. O montante é um pouco menor que os 13 bilhões de dólares que os economistas projetam para o Brasil o mesmo período, segundo o último Relatório de Mercado do Banco Central. Para 2004, as projeções apontam para o ingresso de 16,2 bilhões de dólares na economia brasileira. Caso a estimativa se confirme, o montante representará um aumento de 63,4% sobre o IED acumulado ao longo de 2003.