Investigador do Vaticano no Chile ouve novas denúncias de abuso

Scicluna chegou a Santiago para ouvir acusações segundo as quais o bispo Juan Barros ocultou informações a respeito de abusos sexuais

Santiago – O arcebispo Charles Scicluna, que está no Chile investigando acusações de que um bispo acobertou abusos sexuais de menores de idade, ouviu nesta terça-feira novas denúncias de abuso sexual que podem levar a mais investigações do Vaticano.

Scicluna, investigador de abusos sexuais mais experiente do Vaticano, chegou a Santiago mais de uma semana atrás para ouvir acusações segundo as quais o bispo Juan Barros ocultou informações a respeito de abusos sexuais de menores cometidos por seu mentor, o padre Fernando Karadima.Barros, nomeado pelo papa Francisco para a diocese de Osorno, no sul chileno, em 2015, disse não estar ciente de nenhum ato impróprio de Karadima.Scicluna ampliou o âmbito de suas conversas à medida que mais vítimas de abusos sexuais se manifestaram, algumas das quais alegaram ter sido abusadas por membros da congregação dos Irmãos Maristas do Chile e pediram para vê-lo na semana passada.”Queremos que seja criada uma comissão especial do Vaticano que analise, estude, investigue e sancione todas as ações praticadas pelos maristas”, disse Isaac Givovich, porta-voz de um grupo de ex-alunos e vítimas de abusos, a repórteres a caminho de seu encontro com Scicluna.

Os ex-alunos do Instituto Alonso de Ercilla denunciaram os supostos abusos de maristas no Chile e emitiram comunicados em uma investigação canônica recente, mas dizem que o processo careceu de transparência e querem ter certeza de que os maristas não se envolverão em nenhuma investigação nova.

As vítimas que alegam abusos sexuais de membros da Congregação Salesiana do Chile disseram que também se reunirão com Scicluna.

Scicluna, que é arcebispo de Malta, deve partir de Santiago na quinta-feira.