Inglaterra e País de Gales pedem à Escócia que não os deixe

Países colocaram de lado a rivalidade histórica e esportiva

Londres – A Inglaterra e o País de Gales colocaram de lado a rivalidade histórica e esportiva e nesta terça-feira enviaram uma única mensagem à Escócia: não nos deixe.

À medida que o debate a respeito do referendo sobre a independência da Escócia esquenta, uma pesquisa de opinião mostrou que um crescente número de ingleses e galeses querem que a Escócia permaneça no grupo de países de 307 anos estabelecido pelo Tratado da União que criou o Reino Unido da Grã-Bretanha.

Uma pesquisa da organização YouGov mostrou que 54 por cento desejam que os eleitores ao norte da fronteira rejeitem a independência no referendo marcado para 18 de setembro.

O resultado representa uma reviravolta do observado há três anos, quando uma pesquisa encomendada pelo tablóide inglês Sun mostrou uma ligeira vantagem dos ingleses e galeses que desejam que os escoceses sigam seu próprio caminho, em vez de permanecer na Grã-Bretanha.

A sondagem foi divulgada no momento em que pesquisas eleitorais na Escócia mostram uma pequena mudança na opinião, com o aumento do apoio a separatistas que têm estado atrás dos defensores da união em cerca de um terço desde que a votação se tornou uma realidade há 18 meses.

A pesquisa mais recente do YouGov, conduzida em janeiro com 5.161 adultos ingleses e galeses, mostrou que agora apenas 24 por cento quer que a Escócia se separe da Grã-Bretanha, enquanto 22 por cento não souberam responder.

O governo britânico se opõe à independência da Escócia, dizendo que ambos os lados se beneficiam da união.