Indústria americana beneficia-se com o dólar fraco

Dados do Institute for Supply Management indicam aceleração do ritmo industrial em dezembro, puxado pelas exportações

O dólar fraco está estimulando as vendas externas e fomentando a indústria dos Estados Unidos. A desvalorização da moeda americana, grande preocupação dos empresários brasileiros, tem animado os exportadores dos EUA. Em dezembro, o índice de atividade industrial americano, apurado mensalmente pelo Institute for Supply Management, subiu 5,3 pontos (de 54,7 para 60) no caso dos exportadores e 0,8 ponto, na média geral. Essa foi a segunda alta consecutiva do indicador, após vários meses de estabilidade da indústria. Segundo os analistas, o impulso da atividade baseada nas vendas externas mostra que o dólar fraco está aumentando a competitividade americana e fomentando a indústria.

O mercado interno nos EUA também deu sinais positivos no mês passado. Cerca de 40% das empresas que participaram da pesquisa afirmaram que os pedidos domésticos aumentaram em dezembro, contra 16% que apontaram desaceleração, segundo o jornal britânico Financial Times.

O único item que desapontou os economistas foi o mercado de trabalho, que registrou desaquecimento. O índice que mede a evolução do nível de emprego baixou de 57,6 para 52,7 pontos em dezembro. O dado preocupa porque muitos analistas esperam que o fortalecimento do mercado de trabalho colabore com a expansão do mercado interno, agora que o corte de impostos promovidos pela gestão Bush começa a fazer efeito.

O resultado geral da pesquisa, porém, é considerado animador pelos economistas. “Ela reforça as evidências apontadas por outras pesquisas de que haverá uma aceleração dos negócios até o final do ano”, afirmou Haseeb Ahmed, consultor da Economy.com, ao Financial Times.