Independência da Colômbia é celebrada com desfiles e música

Os principais atos comemorativos contaram com a presença do presidente Juan Manuel Santos

Bogotá – Com um desfile militar e um grande concerto, os colombianos celebraram nesta sexta-feira seus 202 anos de independência da Espanha em um clima festivo, que teve como cenário de fundo as recentes agitações no sudoeste do país e três ataques das Farc.

Os principais atos comemorativos contaram com a presença do presidente Juan Manuel Santos, sua família e alguns ministros, que participaram da tradicional parada militar de San Andrés e depois viajaram a Bogotá para inaugurar as sessões ordinárias do Congresso.

Enquanto isso, a cidade de Popayán (sudoeste) recebeu o Concerto Notas da Independência, compromisso ao qual Santos não compareceu depois de decidir realizar o desfile em San Andrés, e não na capital do departamento de Cauca, como estava previsto.

San Andrés, ilha caribenha reivindicada pela Nicarágua perante a Corte Internacional de Justiça (CIJ), iniciou a agenda de comemorações com o desfile de 500 membros das Forças Armadas que receberam os aplausos e felicitações do presidente.

No entanto, em seu discurso posterior, Santos admitiu que ainda há ‘zonas difíceis’ de controlar na Colômbia e que por esse motivo os militares ‘continuarão perseverando’.

O presidente colombiano centrou seus elogios no Exército, destacando sua disciplina, capacidade de combate e ‘respeito aos direitos humanos, como vimos há poucos dias’, em alusão à reação pacífica dos oficiais durante a expulsão de 100 soldados por indígenas em uma base militar em Toribío (Cauca).

Os indígenas buscam recuperar o controle de seus territórios ancestrais, que sofrem com os constantes enfrentamentos que opõe Exército e Polícia e as Farc, o que causou distúrbios e duas vítimas no sudoeste do país.