Incidente em fronteira gera tensão diplomática entre Itália e França

Autoridades italianas denunciaram que agentes da fronteira da França teriam forçado um imigrante nigeriano a realizar um teste de urina

Roma – Um incidente na fronteira da Itália com a França na noite de sexta-feira gera tensão diplomática entre os dois países neste sábado. Autoridades italianas denunciaram que agentes da fronteira da França teriam entrado em uma sala de uma estação de trem na região de Bardonecchia, província de Turin, norte da Itália, para forçar um imigrante nigeriano a realizar um teste de urina. Conforme autoridades francesas, os policiais franceses recorreram ao local por suspeitar que o nigeriano estava transportando drogas.

O grupo humanitário Rainbow4Africa, que atua no local, disse que cinco agentes franceses armados entraram nas instalações da organização na sexta-feira à noite e intimidaram médicos, advogados e outras pessoas presentes no local. Um voluntário que presenciou o incidente afirmou que o nigeriano tinha documento de identidade do governo italiano e um bilhete de trem válido para o trajeto Paris – Nápoles.

Segundo o prefeito de Bardonecchia, Francesco Avato, os policiais não tinham autorização para invadir o espaço “neutro” destinado a persuadir migrantes a não fazerem a perigosa travessia dos Alpes em direção à França.

Após o ocorrido, o Ministério das Relações Exteriores italiano informou ter convocado o embaixador francês a prestar informações sobre o incidente. Pouco depois, autoridades francesas disseram que os agentes franceses tinham permissão para entrar nas instalações da estação. O Ministério do Orçamento, Contas Públicas e Administração Civil da França, responsável pela supervisão dos agentes da fronteira, disse que os policiais suspeitaram que o nigeriano, residente da Itália, estaria carregando drogas. Segundo o ministério, o homem concordou em fazer um teste para averiguar se ele havia feito uso da substância química.

O uso das instalações da estação italiana, acrescentou o órgão francês, estaria autorizado, conforme um acordo de 1990. As autoridades francesas declararam ainda estar dispostas a discutir sobre a situação com o governo italiano de modo a “evitar qualquer incidente no futuro”.

Entretanto, após ter solicitado esclarecimentos sobre o caso ao embaixador francês, o Ministério de Relações Exteriores da Itália informou ter avisado a autoridades da aduana francesa, ainda neste mês, que o escritório em questão não estava mais disponível para uso de agentes franceses, porque agora era utilizado pelo grupo de ajuda humanitária.

O governo italiano expressou ainda seu “firme protesto” contra a conduta “inaceitável” dos agentes franceses e disse que representantes dos dois países devem se encontrar em 16 de abril em Turin para discutir sobre o assunto.

Fonte: Associated Press.