Incêndio no norte da Califórnia ameaça casas e reserva natural

Nas últimas semanas, a Califórnia enfrenta uma série de incêndios em várias partes do Estado e o governador já decretou estado de emergência

Upper Lake – Em meio ao combate a diversos incêndios em todo o Estado, os Bombeiros da Califórnia enfrentam um novo foco na área rural de Covelo, a 290 quilômetros de São Francisco, que ameaça residências e uma área de reserva natural. Segundo o vice-xerife do Condado de Mendocino, Matthew Kendall, as chamas começaram na tarde desta terça-feira, 31, e podem atingir cerca de 60 casas na área rural e também a Floresta Nacional de Mendocino.

“Estamos alertando que as chamas podem atingir as residências”, disse. Até o momento, nenhuma casa foi queimada e moradores receberam ordens para deixar a área imediatamente. Aeronaves dos Bombeiros foram acionadas para combater as chamas, mas é incerto quando estarão disponíveis, visto que também atuam em outros incêndios no Estado.

A 64 quilômetros ao sul, entre os condados de Mendocino e Lake, um incêndio na cidade de Lakeport já destruiu sete casas e ameaça outras 12 mil. Ao leste, no condado de Sutter, um foco queimou quatro quilômetros quadrados antes de ser debandado.

Nas últimas semanas, a Califórnia enfrenta uma série de incêndios em várias partes do Estado. O mais destrutivo deles queimou mais de mil casas e matou seis pessoas no município de Redding.

Chamas também destroem há dias o Parque Nacional Yosemite, que ficará fechado até domingo, dia 5, enquanto os bombeiros encerram os combates as chamas, que devem ser controladas até a próxima sexta-feira, 3.

A situação obrigou o governador da Califórnia, Jerry Brown, a decretar estado de emergência. A medida autoriza o governo estadual a deslocar fundos de emergência aos municípios atingidos. A Casa Branca também reforçou ações no Estado com o deslocamento de milhares de bombeiros para combater as chamas e prevenir novos focos.

Os incêndios ocorrem, em sua maioria, devido à onda de calor que avassala a Califórnia. O clima seco e os fortes ventos na região também facilitam a propagação das chamas.