Incêndio em parque nos EUA avança e ameaça sequoias gigantes

Incêndio florestal que queima desde sábado a faixa oeste do Parque Nacional de Yosemite continua avançando e ameaça dezenas de suas famosas sequoias gigantes

San Francisco – O incêndio florestal que queima desde sábado a faixa oeste do Parque Nacional de Yosemite, na Califórnia, continua avançando e já afeta mais de 1.200 hectares, se aproximando agora da região na qual se encontram várias dezenas de suas famosas sequoias gigantes.

Segundo informou nesta terça-feira o Serviço Florestal dos Estados Unidos, apesar do fogo, a maior parte de Yosemite segue aberta ao público, embora desde segunda-feira esteja fechada a estrada 120, um dos principais acessos ao parque, e a fumaça se estenda por várias áreas de camping e por alguns dos principais atrativos da região.

Sem chegar a afetá-la por enquanto, o incêndio se aproxima da área de Merced Grove, uma região na qual se encontram mais de 40 das famosas sequoias gigantes de mais de um metro e meio de diâmetro, acrescentou o Serviço Florestal.

Por sua parte, o Departamento Florestal e de Incêndios da Califórnia informou que as chamas afetam uma zona de floresta extremamente seca, na qual 585 bombeiros lutam contra o fogo.

O incêndio, que se originou por causas desconhecidas no sábado na zona conhecida como Old El Portal, obrigou a desocupação da área urbanizada de floresta, assim como os acampamentos de Crane Flat, Bridalveil Creek e Yosemite Creek.

A Califórnia, e em geral o oeste dos Estados Unidos, vivem uma situação de seca crônica há três anos, um fenômeno que se intensificou desde o início de 2014 e que provocou a declaração de zonas de “seca excepcional” em até 36% do território do estado mais povoado do país, inclusive as cidades de Los Angeles e San Francisco (esta última próxima ao Parque Nacional de Yosemite).

A intensa seca, unida às insólitas altas temperaturas, é a responsável por um ano especialmente ruim quanto a incêndios florestais.

Segundo o Departamento de Proteção Florestal da Califórnia, desde o início do ano e até 19 de julho foram registrados 3.400 incêndios de vegetação que tinham queimado 20.600 hectares, muito acima dos 2.500 incêndios e 12.100 hectares queimados de um ano habitual.