Imagens do estrago do tremor que matou centenas no Irã e Iraque

Tremor de 7,3 graus na escala Ritchter matou ao menos 330 pessoas e feriu mais de 2,5 mil

São Paulo – Um forte terremoto de magnitude 7,3 graus na escala Ritcher atingiu no domingo a noite a fronteira do Iraque e do Irã, deixando ao menos 330 mortos e mais de 2,5 mil feridos.

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o epicentro do tremor foi em Halabja, no sudeste de Sulaymaniyah, uma cidade na região curda do norte do Iraque.

Mapa do Serviço Geológico Americano: epicentro do tremor de 7,3 graus aparece em azul.

Mapa do Serviço Geológico Americano: epicentro do tremor de 7,3 graus aparece em azul. (USGS/ earthquake.usgs.gov/Reprodução)

O terremoto ocorreu a 32 quilômetros de profundidade e foi seguido por ao menos 30 réplicas de menor intensidade.

Terremoto no Irã

Terremoto no Irã (Ako Rasheed/Reuters)

Porém, a região iraniana foi a mais afetada. Acredita-se que a maioria das vítimas esteja na cidad de Sarpol-e Zaha, em Kermanshah.

Terremoto na fronteira do Iraque e Irã em 12 de novembro de 2017.

(Ako Rasheed/Reuters)

Ainda não há informações oficiais sobre a extensão dos danos, mas relatos da mídia local e imagens das áreas atingidas pintam um quadro desolador, com várias construções em ruínas. Há risco de falta de água e eletricidade.

Terremoto na fronteira do Iraque e Irã em 12 de novembro de 2017.

(Tasnim News Agency/Reuters)

O abalo também foi sentido em outros países do Oriente Médio, como a Turquia, o Kuwait e o Qatar.

Terremoto na fronteira do Iraque e Irã em 12 de novembro de 2017.

(Ako Rasheed/Reuters)

Na sequência do desastre, usuários de redes sociais postaram imagens e vídeos de moradores abandonando suas casas e comércios no meio da noite.

Situado sobre grandes falhas geológicas, o Irã é uma das zonas de maiores atividades sísmicas do mundo. Em 2003, um terremoto de 6,3 graus sacudiu a cidade histórica de Bam, matando 20 mil pessoas e ferindo mais de 50 mil.

Em 1990, mais de 35 mil pessoas morreram quando um terremoto de intensidade 7,7 na escala Richter atingiu o noroeste do Irã. O último grande terremoto no país ocorreu em agosto de 2012 e fez mais de 300 vítimas fatais.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Mário Sozzi

    Eu não o que está acontecendo com a profissão de jornalista nos dias de hoje, mas me decepciona ver uma matéria nesse formato: primeiramente com a manchete que descreve como “estrago” quando sabemos que o principal fato a se lamentar são as centenas de mortos, portanto isso não é um “estrago”, mas sim uma “desgraça”. Em seguida vemos que hoje nas matérias se apresentam muitas fotos e poucos fatos, como se o que importasse seria o fato de “curtir” por meio de fotos e vídeos essa tragédia. Acho que uma revista do nível da Exame deveria não só rever o formato de suas matérias para se adequar ao formato digital, mas repensar qual é sua proposta de valor e como entregá-la a respeitados e respeitosos leitores.