Ilha no Pacífico é lugar mais poluído por lixo plástico no mundo

Estima-se que 17,6 toneladas de detritos acumulam-se atualmente na ilha deserta de Henderson Island, que é considerada Patrimônio da Humanidade

São Paulo – Há uma ilha solitária no Oceano Pacífico que não tem habitantes humanos, mas está completamente tomada por lixo. As praias de Henderson Island, nomeada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1988 por sua rara ecologia, têm a maior densidade de detritos plásticos relatados em qualquer lugar do Planeta, revela um estudo publicado na prestigiada revista científica americana Proceedings da National Academy of Sciences.

Cientistas da Universidade da Tasmânia descobriram que as praias da ilha estão poluídas com cerca de 670 pedaços de lixo por metro quadrado, a maior densidade já registrada. A região é território britânico no sul do Oceano Pacífico e, apesar de localizada a mais de 5.000 quilômetros de um centro populacional, estima-se que acumule 37,7 milhões de detritos, pesando um total de 17,6 toneladas. 

Apesar de isolada, a ilha situa-se perto do centro da corrente da “Grande Mancha de Lixo do Pacífico”, um aglomerado de detritos flutuantes que tem quase o tamanho do estado americano do Texas, o que torna a região um ponto focal para os detritos transportados da América do Sul ou descartados por barcos.

Um caranguejo que agora faz sua casa com detritos de plásticos. Um caranguejo que agora faz sua casa com detritos de plásticos na ilha.

Um caranguejo que agora faz sua casa com detritos de plásticos na ilha. (Jennifer Lavers/ Universidade da Tasmânia/Reprodução)

“O que aconteceu na ilha de Henderson mostra que não há como escapar da poluição plástica, mesmo nas partes mais distantes de nossos oceanos”, diz Jennifer Lavers, principal autora do estudo e pesquisadora do Instituto de Pesquisas Marinhas e Antárticas (IMAS).

Na expedição científica à ilha, liderada pela organização britânica de conservação da natureza RSPB, a cientista captou em vídeo o cenário perturbador:

Os detritos plásticos são um perigo para muitas espécies de animais, que podem ingeri-los ou se emaranhar neles. Tartarugas marinhas, caranguejos e aves  costumam ser vítimas fáceis dessa poluição.

“A pesquisa mostrou que mais de 200 espécies estão em risco de comer plástico, e 55 por cento das aves marinhas do mundo, incluindo duas espécies encontradas em Henderson Island, estão em risco diante dos detritos marinhos”, disse Lavers.