Hungria fechará fronteira com Croácia para deter refugiados

A Hungria já havia fechado há um mês a fronteira com a Sérvia onde o ritmo de entradas de emigrantes caiu de 10.000 por dia a apenas 200

Budapeste – O governo da Hungria anunciou nesta sexta-feira que, a partir de meia-noite, fechará a fronteira com a Croácia, por onde passam a cada dia milhares de refugiados a caminho da Alemanha, e aplicará controles estritos para determinar quem tem direito a asilo político.

A Hungria já havia fechado há um mês a fronteira com a Sérvia onde o ritmo de entradas de emigrantes caiu de 10.000 por dia a apenas 200.

“Esperamos conseguir os mesmos resultados”, afirmou o ministro das Relações Exteriores húngaro, Peter Szijjarto, ao anunciar a medida, embora tenha ressaltado que “esta é a segunda melhor solução”, já que a primeira teria sido que a União Europeia (UE) defendesse a fronteira entre Grécia e Turquia, por onde entra a maioria de refugiados.

O ministro disse que a decisão da Hungria, que começou a construir esta cerca em setembro, se deve ao fato de que “na cúpula da quinta-feira da UE não se decidiu sobre a defesa conjunta da fronteiras da Grécia”.

Szijjarto reiterou que, ao fechar a fronteira, a Hungria cumpre com suas tarefas de defender as fronteiras do espaço Schengen, de livre circulação.

Apesar do fechamento da fronteira, os pontos de cruzamento seguirão funcionando e também haverá áreas de passagem, onde os refugiados terão que esperar que se tramitem suas solicitações antes de entrar na Hungria.

Szijjarto explicou que o governo húngaro notificou os países vizinhos sobre a medida e também que informou ao embaixador croata na Hungria, que lhe expressou sua “decepção”.

Neste ano, mais de 370.000 refugiados entraram na Hungria, provenientes de países em conflito do Oriente Médio, que seguem depois rumo a Áustria e Alemanha.

No último dia 15 de setembro entraram em vigor na Hungria leis que penalizam o cruzamento ilegal da fronteira com até cinco anos de prisão.