Hugo Chávez e Raul Castro ficarão de fora da 21º Cúpula Ibero-Americana

Presença de Dilma Rousseff e da presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, também não estão confirmadas

Assunção, Paraguai – Os presidentes de Venezuela, Cuba, El Salvador e Costa Rica estarão ausentes da 21º Cúpula Ibero-Americana, que será realizada nos dias 28 e 29 em Assunção, anunciou nesta sexta-feira o coordenador paraguaio do evento, Hugo Saguier.

Segundo o coordenador, a presença de Dilma Rousseff e da presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, também não estão confirmadas.

“Raúl Castro não vem. O presidente da Venezuela está doente”, disse Saguier ao anunciar que os líderes de El Salvador, Mauricio Funes, e da Costa Rica, Laura Chinchila, também não estarão no evento por conta das fortes chuvas que castigam a América Central.

“Mesmo quando nosso presidente estava em tratamento médico sempre cumprimos nossos compromissos”, acrescentou Saguier, lembrando que o governante paraguaio, Fernando Lugo, cedeu várias entrevistas internacionais quando estava em tratamento de quimioterapia contra o câncer linfático, que foi diagnosticado em 2010.


No entanto, Saguier sustentou que espera que pelo menos 18 chefes de Estado participem da cúpula. Após esse encontro, os países ibero-americanos terão outra reunião: a cúpula da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), que terá o Paraguai na Presidência temporária do grupo.

Saguier também aproveitou a ocasião para anunciar a participação do presidente do Haiti, Michel Martelly, na reunião da Unasul. Martelly irá ao encontro apenas como observador.

Até o momento, os países confirmados para a Cúpula Ibero-americana são Espanha, Andorra, Honduras, Panamá, Portugal, Equador, Peru, República Dominicana, Guatemala, Bolívia e Uruguai. Colômbia, Chile e México deram confirmação verbal. Por outro lado, Argentina, Nicarágua e Brasil seguem sem se manifestar.

“Nós não quereríamos ressaltar as pessoas que não vem, mas as pessoas que já confirmaram sua presença, o que é o importante”, concluiu Saguier.