Horário de verão deve gerar economia de 2 mil MW

O horário de verão, que consiste em adiantar em uma hora os relógios, com base no horário oficial de Brasília, começará a valer a partir da zero hora de domingo (5/11) e se estenderá até o dia 25 de fevereiro de 2007.

A expectativa é que neste ano haja economia da ordem de aproximadamente 2 mil megawatts (MW) em todo o País. De acordo com o Operador Nacional do Sistema (ONS), a previsão é que haja uma redução de 4% a 5% na demanda no horário de pico. Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, a previsão é de que haja redução na demanda de 1.560 MW, o que equivale a duas vezes o consumo máximo de Brasília. Na Região Sul a redução deverá ser de 530 MW, o que equivale a 80% da carga no horário de ponta (consumo máximo) da cidade de Porto Alegre.

O horário de verão vai vigorar nos Estados do Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná), Sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais) e Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal). A medida tornou-se usual desde 1985 e ocorre também em outros países, como Austrália e Nova Zelândia. Por estarem no Hemisfério Norte, países como Estados Unidos e Rússia adotam o horário de verão entre os meses de março a outubro.