Homônimo de anti-herói de Breaking Bad é condenado a prisão

Juiz americano condenou o traficante de metanfetamina Walter White a 12 anos de prisão

Los Angeles – Um juiz americano condenou o traficante de metanfetamina Walter White a 12 anos de prisão, em um caso de “a vida imita a arte”, poucos meses depois do fim da aclamada série de TV “Breaking Bad”.

O traficante da vida real de Montana – cujo homônimo da TV viu sua saga terminar com o episódio final da série “Breaking Bad” exibido em setembro – recebeu um tiro do próprio filho em uma discussão sobre uma dívida de drogas, segundo o jornal Billings Gazette.

Na segunda-feira, o juiz distrital Donald Molloy condenou White a 12 anos e meio de prisão por posse e distribuição de metanfetaminas e posse de armas.

White, de 53 anos – um a mais que o personagem da série – afirmou no tribunal que virou um traficante depois de adquirir o vício em metanfetamina. Quando ele tentou parar de vender, os fornecedores o ameaçaram, segundo o jornal.

Ele foi detido em março. Seu filho Brandon foi acusado de agressão com uma arma e preso, com fiança estabelecida em 150.000 dólares, depois de confessar à polícia que atirou no pai pelas costas em janeiro por uma dívida de US$ 10.000.

“Breaking Bad”, que contava a saga de Walter White, professor de química que vira traficante e que é interpretado por Bryan Cranston, chegou ao fim em setembro, após a quinta temporada. Uma semana antes venceu o Emmy de melhor série dramática.

O episódio final, muito aguardado, teve a maior audiência da série – 10,3 milhões de espectadores – e teve mais 500.000 downloads ilegais.