Homens responsáveis por ataques em Londres já foram identificados

Polícia revelará nomes dos autores no momento oportuno. Até agora, 12 pessoas foram presas, entre homens e mulheres de diversas idades

São Paulo – A polícia Metropolitana de Londres (Met) confirmou já ter identificado os três homens responsáveis pela onda de ataques no coração da capital britânica no último sábado. Segundo nota oficial, as autoridades disseram que irão revelar os nomes assim que “operacionalmente possível”.

Até o momento, continuou a Met, 12 prisões foram realizadas, todas com base na lei antiterrorismo, e há operações de busca e apreensão ocorrendo em quatro propriedades na região de Barking. Entre as pessoas presas, há homens e mulheres de idades que variam de 19 a 60 anos de idade.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI), que atua na Síria e no Iraque, mas vem expandindo suas atividades para países da África e Ásia, reivindicou a autoria do ato, mas a polícia ainda não confirmou a sua ligação com o trio responsável pelos incidentes no final de semana.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, atribuiu as motivações dos ataques ao “extremismo”. Ainda segundo ela, o nível de terrorismo no país segue classificado como “severo” e que o ato foi “contra o mundo livre” e não apenas contra o Reino Unido. Cobrou, ainda, o endurecimento das medidas antiterrorismo.

Ataques

Na noite de sábado, 22h08 (horário local), a polícia começou a receber avisos de um incidente na região da London Bridge, conhecido ponto turístico de Londres. Relatos davam conta de que uma van havia atropelado dezenas de pessoas que transitavam no local.

O veículo seguiu para a região Borough Market, outro ponto popular entre turistas. Os três homens então abandonaram a van e passaram a atacar as pessoas com facas. A polícia conseguiu contê-los com rapidez, apenas oito minutos depois de os primeiros avisos chegarem. Os homens foram mortos a tiros.

Até o momento, sete pessoas morreram em decorrência dos ataques e 48 ficaram feridas. A canadense Chrissy Archibald, 30 anos, foi a primeira vítima fatal a ter a sua identidade revelada. Ela havia se mudado para Londres há pouco tempo para viver com o noivo.