Homem que atacou policial em Paris jurou lealdade ao EI em vídeo

Terrorista, de 40 anos, está hospitalizado depois de ter sido ferido por tiros da polícia no momento em que avançou na direção de um agente com um martelo

O homem que agrediu nesta terça-feira um policial diante da catedral de Notre-Dame, em Paris, jurou lealdade ao grupo extremista Estado Islâmico (EI) em um vídeo encontrado em seu apartamento, informou uma fonte ligada à investigação.

O agressor, de 40 anos, está hospitalizado depois de ter sido ferido por tiros da polícia no momento em que avançou na direção de um agente com um martelo na mão.

Durante o ataque, ele gritou “isto é pela Síria” e afirmou ser “um soldado do califado”, uma referência ao califado anunciado de modo unilateral em junho de 2014 pelo EI nas áreas que controlava no Iraque e na Síria.

O porta-voz do governo francês, Christophe Castaner, afirmou mais cedo que este foi um “ato isolado” cometido por um homem que não havia apresentado sinais de radicalização.

O agressor tinha documentos de identificação com o nome de Farid I., nascido na Argélia em janeiro de 1977. Ele preparava uma tese de doutorado desde 2014 na Universidade de Metz (leste da França), de acordo com a mesma fonte.

O orientador da tese, Arnaud Mercier, afirmou nesta quarta-feira à AFP que trata-se de um estudante “totalmente oposto” a um perfil jihadista e que defendia “os valores democráticos”.

O ataque, no coração de Paris e em um dos principais pontos turísticos da capital francesa, aconteceu apenas três dias depois de um novo atentado no Reino Unido, que deixou sete mortos e 48 feridos.