Homem de NY é preso por tentar se unir à Al Qaeda

Documentos de um tribunal acusam homem de tentar viajar para o Iêmen para se juntar ao grupo

Nova York – Autoridades norte-americanas prenderam nesta sexta-feira um homem de 25 anos em um subúrbio de Nova York e o acusaram de cinco crimes por tentar viajar para o Iêmen e lá se unir à rede Al Qaeda na Península Arábica.

Documentos de um tribunal divulgados nesta sexta-feira acusam o homem, Marcos Alonso Zea, de tentar, por duas vezes, viajar para o Iêmen para se juntar ao grupo, que os EUA consideram ser um dos ramos mais ativos da rede militante.

Os EUA também acusaram Zea de tentar dar dinheiro para afiliados da Al Qaeda e destruir seus próprios computadores quando soube que estava sendo investigado.

Ele enfrentará cinco acusações: uma por conspiração para cometer assassinato em um país estrangeiro, duas por tentar dar suporte a terroristas ou organizações terroristas, e outras duas por obstruir a Justiça.

“Depois de ter nascido e sido criado nos Estados Unidos, Zea supostamente traiu seu pais e tentou viajar para o Iêmen para se juntar a uma organização terrorista”, disse a promotora federal do Distrito Leste de Nova York, Loretta Lynch.

Zea foi preso em casa, em Brentwood, Nova York, 80 quilômetros a leste de Manhattan, disseram promotores federais.

Segundo a promotoria, em janeiro de 2012 Zea tentou voar de Nova York para o Iêmen, mas foi interceptado por autoridades alfandegárias britânicas quando mudava de avião, e retornou aos EUA.

Sem conseguir realizar seu objetivo, ele então ajudou um aliado de 18 anos, Justin Kaliebe, a fazer tentativa similar em janeiro de 2013. Kaliebe foi preso ao tentar ir para Omã e acusado de tentar dar apoio a terroristas, segundo documentos da corte.