Hollande diz a Obama que França apoiará EUA no Iraque

Ele afirmou neste sábado que seu país apoiará os esforços de Washington no Iraque "contra as ações ignóbeis do grupo terrorista Estado Islâmico (EI)"

Paris – O presidente da França, François Hollande, disse neste sábado ao presidente dos Estados Unidos, que seu país apoiará os esforços de Washington no Iraque “contra as ações ignóbeis do grupo terrorista Estado Islâmico (EI)”.

“O presidente reafirmou que a França ocupará seu lugar em um dispositivo que reunirá os Estados Unidos e o conjunto de países que desejem se associar à ação que o Conselho de Segurança da ONU solicitar”, afirmou a chefia do Estado francês em um comunicado.

A nota não explicou como será este apoio. Após conversar com Obama, Hollande afirmou que França e EUA “compartilham a mesma indignação e a mesma determinação” e reiterou “seu apoio às posições e às ações decididas pelos Estados Unidos”.

“Analisaram o conjunto de modalidades de cooperação para ajudar as forças que combatem o EI e a ajuda de urgência às povoações ameaçadas”, disse o comunicado divulgado pelo Palácio do Eliseu, sede da presidência francesa.

Pouco antes, Obama tinha anunciado que os governos da França e do Reino Unido se somariam ao apoio humanitário da população do Curdistão.

Na conversa entre os dois, o presidente francês disse a Obama que Paris iniciou contatos com a União Europeia (UE) para “fornecer com urgência a assistência que a população do norte do Iraque necessita”.

Hollande e Obama também trataram sobre as “opções abertas para ajudar a longo prazo o Iraque a alcançar a soberania no conjunto de seu território”.

Em 10 de junho, o Estado Islâmico controlou Mossul, a segunda maior cidade do Iraque, e desde então luta no norte do país para ampliar seu autodeclarado “califado”.

O EI também assumiu o controle de Sinjar, provocando uma crise humanitária denunciada pela ONU, na qual mais de 120 mil pessoas tiveram que fugir de seus lares.