Hollande critica protecionismo econômico defendido por Trump

"Estamos em uma economia mundial aberta. Não é desejável querer isolar-se", declarou Hollande

Paris – O presidente da França, François Hollande, criticou nesta sexta-feira o protecionismo econômico defendido pelo novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a quem se referiu de forma indireta como aquele “que presta juramento” em Washington.

“Estamos em uma economia mundial aberta. Não é desejável querer isolar-se”, declarou Hollande durante uma visita a uma empresa têxtil em Gérardmer, no leste da França.

O presidente francês ressaltou que o fechamento das fronteiras recomendado por alguns, como “o que presta juramento” na capital americana, com taxas para evitar a chegada de certos produtos de outros países, pode colocar empregos em risco nesses lugares.

“Que haja regras que evitem uma concorrência desleal é totalmente legítimo, (…) mas não devemos imaginar a França fechada ao resto do mundo”, acrescentou Hollande, para quem esse isolamento implicaria na perda de empregos, de competitividade e de desenvolvimento econômico.

Desde a eleição de Trump no último dia 8 de novembro, Hollande mostrou sua preocupação pelas consequências em nível internacional.

No dia 12 de janeiro, o presidente francês advertiu à futura administração de Trump que seu país sempre será para os Estados Unidos um aliado confiável, mas autônomo.

“(A França) saberá adotar, com a liberdade que a caracteriza, posturas que podem ser às vezes diferentes se pensarmos que não estão conformes com nossos interesses ou nossos valores”, declarou então em nova alusão a seu homólogo americano.