Hillary vs. Sanders: já acabou?

Alguém já ouviu o apito do juiz? Hillary Clinton, pré-candidata democrata às eleições americanas, insiste que já venceu a disputa contra o senador Bernie Sanders. Na segunda-feira, ela se recusou até participar de um debate contra seu oponente.

A rigor, ela ainda precisa de 615 dos 2.383 votos necessários à nomeação, mas deve definir a parada no dia 7 de junho, data das primárias da Califórnia — onde ela tem 96% de chance de vitória. Mas Sanders, 1.497, não desiste. E isso é uma ótima notícia para… o republicano Donald Trump.

Os ataques de Sanders à proximidade de Hillary com Wall Street e aos políticos tradicionais têm servido de munição a Trump e minado a (baixa) popularidade dela. As pesquisas de opinião mostram que ela já não tem mais vantagem em relação ao empresário.

No dia 22 de maio, pela primeira vez, ele se mostrou o preferido dos eleitores, com 43,4% das intenções de voto, contra 43,2% de Hillary, de acordo com o instituto Real Clear Politcs. Nesta briga, deve vencer quem conseguir ser menos impopular, já que nenhum dos dois candidatos caiu no gosto dos eleitores. Cerca de 47% dos americanos dizem que não pretendem votar em nenhum dos dois.

Para Trump, quanto mais gente se desiludir com o processo eleitoral, e com a política tradicional, melhor. Hillary tem se defendido dizendo que a corrida contra Trump não pode ser considerada uma disputa “normal”. De fato, não tem nada de normal ser atacada pelo próprio aliado.