Hillary pede fim imediato da violência no Afeganistão

A secretária de Estado norte-americana afirmou que os mortíferos protestos no Afeganistão pela queima de exemplares do Alcorão por soldados dos EUA "precisam parar"

Rabat, Marrocos – A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, afirmou neste domingo que os mortíferos protestos no Afeganistão pela queima de exemplares do Alcorão por soldados dos EUA “precisam parar”. “Nós lamentamos profundamente o incidente que levou a esse protesto, mas também acreditamos que a violência precisa parar e que o trabalho duro de reconstruir um Afeganistão mais pacífico e seguro deve continuar”, afirmou ela durante visita a Rabat, capital do Marrocos.

Neste domingo, um manifestante foi morto e sete soldados norte-americanos ficaram feridos, em um ataque com uma granada a uma base dos militares, no sexto dia de protestos contra os EUA, disse a polícia. No total, mais de 30 pessoas morreram na violência relacionada à reação após o incidente da queima dos exemplares do Alcorão, na base de Bagram, a norte de Cabul.

Em entrevista à CNN, Hillary disse que as críticas ao fato de o presidente Barack Obama pedir desculpas pela queima do Alcorão não ajudavam. Segundo ela, alguns políticos dos EUA inflamavam ainda mais a questão.

A embaixada da França anunciou a suspensão temporária de todos os trabalhos de assessoria francesa a instituições do governo afegão. A Alemanha afirmou que estava retirando seu pessoal que trabalhava em ministérios afegãos, por causa da violenta reação ao incidente na base norte-americana. As informações são da Dow Jones.