Harvey Weinstein é acusado de estupro e agressão sexual em Los Angeles

A acusação recomendou uma fiança de US$ 5 milhões e explicou que, se condenado, o produtor pode enfrentar até 28 anos de prisão

Los Angeles – A procuradora Jackie Lacey, do condado de Los Angeles, acusou nesta segunda-feira o produtor de cinema Harvey Weinstein de supostamente abusar sexualmente de uma mulher e estuprar outra.

As conclusões da Procuradoria foram divulgadas no mesmo dia em que Weinstein compareceu, com o auxílio de um andador, à Suprema Corte de Nova York para iniciar o julgamento no qual enfrentará cinco acusações de crimes como esses.

“Acreditamos que as provas mostrarão que o réu usou seu poder e influência para ter acesso às vítimas e depois cometer crimes violentos contra elas. Quero elogiar as vítimas que corajosamente contaram o que aconteceu. É a minha esperança que todas as vítimas de violência sexual encontrem força e cura à medida que avançam”, disse Lacey em entrevista coletiva.

Segundo a Procuradoria, em 18 de fevereiro de 2013, Weinstein supostamente estuprou uma mulher em um hotel de Los Angeles depois de forçá-la a entrar em seu próprio quarto. Na noite seguinte, também de acordo com a acusação, o produtor agrediu sexualmente outra mulher em um quarto de hotel em Beverly Hills, em Los Angeles.

A acusação recomendou uma fiança de US$ 5 milhões e explicou que, se for condenado por todas as acusações, o produtor pode enfrentar até 28 anos de prisão.

Weinstein enfrentará em Los Angeles acusações de estupro, copulação oral forçada e penetração sexual forçada, no caso da primeira mulher, e agressão sexual com retenção em relação à segunda. Essas duas mulheres contaram em 2013 a pelo menos uma pessoa o que havia acontecido com o produtor, que foi acusado em 2017.

A procuradora explicou que oito mulheres recorreram às autoridades com acusações contra Weinstein por supostos crimes sexuais no condado de Los Angeles.

Duas delas fazem parte deste caso, três foram indeferidas porque o prazo de prescrição tinha expirado e os outros três casos ainda estão sendo investigados.

Lacey explicou que, em muitos casos, é difícil que as acusações de agressão sexual sejam levadas ao tribunal, mas que isso não significa que a história das vítimas não seja verdadeira.

O poderoso produtor é acusado pela Procuradoria de Nova York de cinco crimes sexuais contra duas mulheres: um no qual supostamente estuprou uma mulher não identificada em um hotel de Nova York em 2013 e outro no qual supostamente forçou a assistente de produção Mimi Haleyi a fazer sexo oral em seu apartamento em 2006.