Hamas: não temos nada a ver com a violência em Egito e Síria

"Não interferimos nos assuntos de nenhum país", declarou chefe de governo do Hamas na Faixa de Gaza, Ismail Haniyeh

O chefe de governo do Hamas na Faixa de Gaza, Ismail Haniyeh, afirmou neste sábado que o movimento islamita palestino não está envolvido na violência em Egito e Síria.

“Não interferimos nos assuntos de nenhum país e não estamos envolvidos nos acontecimentos ou nas divergências ou conflitos internos de nenhum país”, declarou Haniyeh num discurso em Gaza.

“Isto se aplica à nossa posição em relação ao que ocorreu e ocorre em Síria, Egito, Líbano e todos os países árabes e islâmicos”, assinalou o líder islamita.

“Não estamos envolvidos em nenhum incidente, nem no Sinai, nem em nenhum outro lugar. Atuamos apenas no marco palestino, e nossos fuzis apontam apenas para o inimigo sionista”, afirmou, em uma mensagem dirigida ao Egito.

As relações entre o Cairo e o movimento palestino se deterioraram após o golpe de Estado militar de 3 de julho contra o presidente islamita Mohamed Mursi, membro da Irmandade Muçulmana, movimento do qual deriva o Hamas.

Desde então, o Exército egípcio destruiu centenas de túneis entre o Egito e Gaza, que serviam para abastecer o território palestino com alimentos e materiais de construção.