Hamas celebra diálogo ‘positivo’ de reconciliação com Fatah

Os dois partidos querem unificar todos os movimentos palestinos na Organização para a Libertação da Palestina (OLP), da qual o Hamas não faz parte do momento

O chefe do governo do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, declarou, nesta sexta-feira, estar satisfeito com os contratos no Cairo destinados a uma reconciliação de seu movimento islamita com o partido Fatah do presidente palestino Mahmoud Abbas.

“Queremos continuar o diálogo até agora positivo com o Fatah”, disse Haniyeh à imprensa.

“No entanto, medidas práticas devem ser tomadas, como a libertação de todos os prisioneiros políticos do Hamas nas mãos do Fatah”, disse.

O presidente Abas e chefe do Hamas, Jaled Meshaal, que mora na Síria, começaram nesta sexta-feira, no Cairo, negociações para reorganizar os órgãos de decisão palestinos.

O objetivo é unificar todos os movimentos palestinos na Organização para a Libertação da Palestina (OLP), do Hamas não faz parte do momento.

A OLP, que reúne a maioria dos movimentos palestinos, é reconhecida internacionalmente como única representante legítima do povo palestino.

Israel denunciou as tentativas de aproximação entre o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abas e o movimento Hamas.

O porta-voz do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu afirmou à AFP que o “Hamas não é uma organização política que se serve do terrorismo, mas sim um grupo que tem o terrorismo por vocação”.