Há risco de guerra da água na Ásia-Pacífico, alertam líderes

A crescente competição pela água pode provocar um conflito se os países não compartilharem este bem, cada vez mais escasso

Chiang Mai – A crescente competição pela água pode provocar um conflito se os países não compartilharem este bem, cada vez mais escasso, advertiram os líderes dos países da região Ásia-Pacífico.

Os esforços regionais para garantir o acesso à água, tanto no centro quanto no sudeste asiático, provocam tensões entre vizinhos que dependem dos rios para alimentar uma população em pleno crescimento.

A urbanização vertiginosa, a mudança climática e a crescente demanda da agricultura aumentam a pressão sobre este bem cada dia mais escasso, enquanto a maioria das pessoas da região não têm acesso à água potável, apesar do forte crescimento econômico registrado nos últimos anos.

“Pode acontecer uma guerra pelos recursos”, disse a primeira-ministra tailandesa Yingluck Shinawatra, na reunião da Água Ásia-Pacífico, celebrada na cidade tailandesa de Chiang Mai.

Uma empresa tailandesa está por trás da construção de uma polêmica represa no rio Mekong, em Lagos, um projeto criticado por dois países afetados, Vietnã e Camboja, que temem os efeitos sobre suas indústria agrícola e pesqueira.

Os delegados aprovaram a “Declaração de Chiang Mai”, na qual defendem a construção de uma resistência regional para prevenir os desastres naturais, compartilhar os conhecimentos técnicos na gestão dos recursos e colocar a segurança hídrica como destaque na agenda.